Utilizando materiais alternativos e os princípios de física estudados, estudantes constroem máquinas simples e compostas

postado em: Publicações | 0

Ao ouvir a palavra “máquina” é comum que, instantaneamente, pensemos em invenções compostas por motores, peças de aço e dispositivos digitais altamente sofisticados. No entanto, as máquinas já fazem parte da humanidade há muito mais tempo do que imaginamos. No Egito Antigo (2550 a.C.) por exemplo, já se utilizavam rampas, cunhas, guindastes e alavancas, por exemplo, na construção das pirâmides.

Vale lembrar que na Física, uma máquina simples é tudo aquilo capaz de facilitar a realização de uma tarefa cotidiana, por meio da modificação do sentido e/ou, intensidade, ou direção de aplicação de uma força; e uma máquina composta é a associação de diferentes máquinas simples. São princípios de máquinas simples: as alavancas, sistemas roda-eixo, planos inclinados, polias ou roldanas.

Assim, sob orientação do professor de Ciências, Matheus Sobral, os estudantes dos 7ºs anos colocaram a mão na massa e construíram diferentes máquinas utilizando materiais alternativos e princípios de física estudados em sala. Dentre as diversas invenções apareceram: catapultas, carrinhos, balanços, lixeira, estilingue, elevadores, poços, entre outros.

A atividade culminou na produção de vídeos que foram postados pelos educandos no website padlet – um mural online que possibilita a interação – e buscou permitir aos educandos uma maior inserção na cultura digital que permeia as relações e costumes do século XXI, bem como possibilitar que assumam uma postura ativa em seus processos de aprendizagem.
Ficou curioso? Confira nos vídeos algumas das criações dos nossos jovens cientistas!

Construindo um carrinho de brinquedo

Construindo um protótipo de elevador com o uso de polias

Construindo uma catapulta

Construindo uma lixeira

Construindo a réplica de um poço artesiano