365 dias de Consciência e respeito

postado em: Publicações | 0

Enquanto Congregação Mineira, nascida no berço das montanhas de Minas, em todas as unidades da Rede Piedade de Educação, o dia do Zumbi dos Palmares e o Dia da Consciência Negra, é um dia para se prestar homenagens em reconhecimento a todo o legado recebido. Assim, toda a rica herança cultural e étnica recebida, merecem, na verdade, 365 dias de Consciência e respeito.

“A Rede Piedade de Educação tem orgulho da participação ativa de seus estudantes na construção de um país mais justo para as próximas gerações. A escola compreende a importância do Dia da Consciência Negra além do próprio dia em si e transcende atividades diversificadas e transversais com a temática ao longo do ano letivo em todos os segmentos. São com momentos como estes que conseguiremos combater o racismo estrutural no Brasil”. Nossa Missão junto às famílias, é de educar jovens e crianças pautando em valores éticos, culturais e cristãos.

Assim, na abertura do momento preparado com muito carinho, Aline, Coordenadora Pedagógica do 1º ao 5º anos do Ensino Fundamental I, relembrou a linda obra iniciada por Monsenhor Domingos, para acolher as filhas de escravos, dando em seguida a palavra a diretora Ir. Rose, que relembrou o sofrimento e todo o preconceito vivido pelo povo negro e enalteceu todo o orgulho pelo lindo trabalho iniciado por Monsenhor Domingos, fundador da CIANSP, a Congregação das Irmãs Auxiliares de Nossa Senhora da Piedade, e compartilhou ainda o quanto se orgulha em saber que a primeira professora negra do Brasil saiu desta Congregação Mineira, da qual faz parte. Finalizando a sua fala, proferiu uma oração “rogando a Deus e a Monsenhor Domingos, que ilumine a todos, proteja e livre do preconceito, para que possamos nos amar e aceitar a todos”. Ir. Rose relembrou que todos somos filhos de Deus e irmãos, independe da raça ou da cor da pele.

Em seguida, seguiu-se as apresentações e homenagens das turmas.

Os 5ºs anos do Ensino Fundamental I, prestou sua homenagem ao congonhense Dom Silvério, primeiro bispo negro da Igreja Católica.

As turmas dos 1ºs anos do Ensino Fundamental dançaram Maculelê: uma dança folclórica baiana com matriz nas culturas afro-brasileira e indígena, que acabou dando origem a capoeira e ao frevo.

Os 3ºs anos do Ensino Fundamental I, dançaram a música Pérola Negra, procurando retratar a cultura das estamparias dos tecidos africanos.

Os 4º anos trouxeram a Congada, ao som da música: Tá caindo fulô.

Os 2ºs anos se soltaram e como todos, consolidaram todas as reflexões e ensinamentos repassados e discutidos, ao som da música Um sorriso negro.

 

Na sequência, o professor José Leonardo, falou um pouco sobre as brincadeiras africanas desenvolvidas ao longo do mês de novembro, durante as aulas de Educação Física, nas diferentes turmas como a Quebra-canela, Salta feijão, Amarelinha Africana Teca Teca e em cumplicidade com os alunos desafiou as professoras a brincar quebra-canela, da qual a vencedora foi a professora de Inglês Rosilene.

 

365 Dias De Consciência E Respeito

Flickr Album Gallery Powered By: Weblizar

 

Ao final, visitaram a linda e rica exposição elaborada pelos alunos da Educação Infantil, sob a orientação da Coordenação e demais pedagogas da Educação Infantil e pela professora Josiana, com as turmas do 1º ao 5º anos, na disciplina de Arte.

Exposição Dos Trabalhos Desenvolvidos

Flickr Album Gallery Powered By: Weblizar